Faixas etárias - Zig Zig Zaa
As roupas

Faixas etárias

POTENCIAL DAS CRIANÇAS DE 0 A 6 ANOS

Cada criança é única, tem o seu jeito, o seu ritmo e o seu tempo próprio para aprender. Toda criança tem o seu potencial e o seu desenvolvimento. Assim, a sua aprendizagem requer estímulos desde os primeiros anos de vida. É por isso que a marca Zig Zig Zaa é desenvolvida com a contribuição de pedagogas que conhecem e entendem a importância da infância.




O que acontece durante a infância da criança.

A Zig Zig Zaa traz aqui algumas das características de cada período, o potencial de aprendizagem e desenvolvimento da criança como indicadores para pais e professores. Vamos conhecer!




Os dois primeiros anos.

É um período de intensa descoberta de si e dos outros. A criança aprende a reconhecer o mundo com a ajuda de texturas, cheiros, sons, tamanhos e profundidade, adquirindo seus primeiros conceitos e ampliando sua visão de mundo. Na motricidade, sustenta a cabeça logo ao final do terceiro ou quarto mês, controla o tronco, senta, engatinha, fica em pé e começa a caminhar. Nessa fase, a criança já é capaz de empilhar cubos, além de pegar objetos variados, alterná-los entre as mãos e entregá-los para alguém. Começa também a entender o significado das expressões: bater palmas, dar adeus, dar beijinhos. Respondem ao seu nome. Expressam a linguagem nomeando objetos e pessoas próximas. Na tentativa de imitar os adultos, muitas vezes, falam com palavras que tem um sentido muito amplo e que precisam ser interpretadas pelos adultos. Nesse período, a criança ainda não é capaz de manipular botões e laços. É importante que as roupas sejam confortáveis para diminuir o estresse. Porém, é aqui que as crianças começam a abandonar fraldas e mamadeiras e a cooperar com a pessoa que a veste. Nessa fase também, as afirmações, os valores e os comportamentos dos adultos acabam influenciando de forma significativa na construção da identidade da criança.




No terceiro ano.

Surge o jogo de imitação e o 'faz-de-conta', atribuindo vida aos objetos e tendo o adulto como exemplo e modelo. Essa é a fase do equilíbrio em relação à personalidade. O diálogo e a brincadeira são as melhores ferramentas para a criança acatar sugestões. O vestir-se se modifica devido ao progresso de saber desabotoar. Dependendo do humor, as crianças tentam se vestir com menor ajuda dos adultos, mas ainda não conseguem distinguir a frente das costas e direito e avesso.




Aos quatro anos.

O vocabulário e a linguagem se ampliam numa estreita relação com o meio estimulante. As diferenças entre menino e menina começam a se evidenciar. A criança já é capaz de alternar os pés ao descer as escadas, reconhece e nomeia as cores. Ela já consegue se vestir com mais facilidade, mas, mesmo assim, ainda encontra dificuldade com algumas peças.




A partir dos 5 e até os 6 anos.

A criança é curiosa, faz muitas perguntas. Chegou a fase dos 'por quês?', do 'como?' e do 'conta outra vez!'. A criança é capaz de copiar um círculo e um quadrado de um modelo. Ela pode pular em um pé só e andar de bicicleta. Nessa época, desenvolve senso crítico e passa a ter um entendimento da realidade ampliado. Ela já consegue se vestir com mais facilidade, mas, mesmo assim, ainda encontra dificuldade com algumas peças. A criança encontra satisfação no resultado, por isso, essa fase destaca a maior familiaridade com as montagens, com a arte e a música. Ela já é capaz de coordenar movimentos alternados. Tem condição de reconhecer direita e esquerda. O vestir-se já é consciente e autônomo. Aqui, começam a esboçar afinidades com peças e modelos especiais.




Para lembrar sempre!

  • É importante respeitar as fases do desenvolvimento;
  • Não é recomendado uso de andador, inibindo o desenvolvimento natural da criança;
  • É importante também, deixar a criança desenhar livremente, em diferentes espaços e sem utilizar desenhos prontos, além de fazer uso de lápis adequados;
  • Quanto à linguagem, ter cuidado ao corrigir é fundamental. A sugestão é apresentar a palavra corretamente e gradativamente ir ampliando a sua linguagem;
  • Ao fazer contato com o alfabeto, é importante permitir que a criança tenha uma consciência sonora e visual das letras e das palavras naturalmente, isso para estar preparada para o processo de alfabetização.